Práticas e discursos académicos sobre biblioterapia Desenvolvidas em Portugal

Fernando Fraga Azevedo, Karla Haydê Oliveira

Resumen


Este artigo define o conceito de biblioterapia e faz o mapeamento da produção académica sobre a temática existente em Portugal. Para o efeito, foram analisadas as práticas e a produção de trabalhos académicos desenvolvidos nos cursos de pós-graduação presentes na base de dados do Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP). Considera-se que a técnica da biblioterapia é eficaz em diferentes contextos e aplicabilidades, sejam estes crianças, adultos ou idosos. 


Palabras clave


biblioterapia; leitura; livros

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Abreu, A. C.; Zulueta, M. Á.; Henriques, A. (2013). Biblioterapia: estado da questão. Revista Cadernos BAD,1/2, 95-110. Consultado em 14 de Novembro de 2015, http://www.bad.pt/publicacoes/index.php/cadernos

Almeida, M. O. R. G. F. de (2012). A utilização da biblioterapia em contexto de biblioteca escolar no apoio a crianças com perturbações físicas e emocionais: criação de um modelo aplicacional. Dissertação de mestrado, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, Portugal. 210f. Consultado em 14 de Novembro de 2015, http://recil.grupolusofona.pt/jspui/handle/10437/3808

Alves, M. H. H. (1982). A aplicação da Biblioterapia no processo de reintegração social. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, 15, 1/2, 54-61.

Aristóteles (1986). Poética. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda.

Azevedo, F. (2014). Literatura Infantil e Leitores. Da Teoria às Práticas. Raleigh, N. C.: Lulu Press.

Caldin, C. F. (2001). A leitura como função terapêutica: biblioterapia. Encontros Bibli. Revista de biblioteconomia e ciência da informação, Florianópolis, 12. Consultado em 14 de Abril de 2014, https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2001v6n12p32/5200

Cordeiro, A. D. (2015). Na prisão, aprendi que um livro faz parte de nós. Jornal Público, Portugal, 24-25, 03 de out.2015.

Correia, G. M. do R. R. (2013). A Morte na Literatura Infanto-Juvenil: da análise de obras literárias ao incentivo da Leitura desta problemática na ‘Hora do Conto’ da Biblioteca Escolar. 104 f. Dissertação de mestrado, Universidade Portucalense, Porto, Portugal. Consultado em 14 de Novembro de 2015, http://repositorio.uportu.pt/jspui/handle/11328/787

Cristófano, S. (2014). Biblioterapia e literatura infantojuvenil: educar para incluir, em vez de criminalizar para excluir. III Congresso de Psicologia, Estarreja, Portugal. Consultado em 14 de Novembro de 2015, http://www.cm-estarreja.pt/pdf/educacao/psicologia/3_congresso/Texto_Congresso%20Estarreja-1.pdf

Ferreira, C. Z. H. S. (2013). Biblioterapia aplicada a idosos: um novo desafio para as bibliotecas públicas portuguesas. Dissertação de mestrado, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, Portugal. Consultado em 18 de Dezembro de 2015, http://recil.grupolusofona.pt/bitstream/handle/10437/4940/FERREIRA_Carmen_Biblioterapia_Idosos_2013.pdf?sequence=1

Maltez, C. M. R. dos S. (2011). A biblioteca escolar e a biblioterapia: relato de uma experiência. Dissertação de mestrado em Gestão da informação e bibliotecas escolares. Dissertação de mestrado, Universidade Aberta, Lisboa, Portugal. 164 f. Consultado em 20 de Novembro de 2015, http://repositorioaberto.uab.pt//handle/10400.2/2302

Mendes, R. M. B. P. (2008). A literatura e a biblioterapia para crianças com problemas de aprendizagem. Dissertação de mestrado. Universidade Portucalense, Porto, Portugal. 135 f. Consultado em 21 de Novembro de 2015, http://repositorio.uportu.pt/jspui/handle/11328/150

Monteiro, A. P. T. de A. V. (2004). Biblioterapia como forma de Intervenção de Enfermagem de saúde mental e Psiquiátrica. Revista Hospitalidade, 264, 13-17. Consultado em 14 de Novembro de 2015, http://repositorio.esenfc.pt/rc/

Ouaknin, M.-A. (1994). Bibliothérapie: lire, c’est guérir. Paris: Éditions du Seuil.

Patrício, T. M. R. (2014). Recomendações de leitura e terapias literárias. Dissertação de mestrado, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal. 134 f. Consultado em 14 de Novembro de 2015, http://repositorio.ul.pt/handle/10451/18164

Pontes, M. do C. G. N. (2008). Da infância para o mundo: as leituras que educam para os valores e formam o carácter. Repositório Científico do Instituto Politécnico do Porto - RECIPP, 1-15. Consultado em 20 de Novembro de 2015, http://recipp.ipp.pt//handle/10400.22/267

Sebastião, M. M. C. P. (2012). Biblioterapia: a função terapêutica do livro em ambiente prisional. Dissertação de Mestrado, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, Portugal. 98 f. Consultado em 14 de Novembro de 2015, recil.grupolusofona.pt/handle/10437/3653

Shrodes, C. (1949). Biblioterapy: a theoretical and clinical – experimental study. Berkeley: University of California, 1949. 344 f. Tese de Doutorado. Consultado em 12 de Julho de 2015, http://www.faccrei.edu.br/gc/anexos/diartigos18.pdf

Silva, A. M. C. (2014). Biblioterapia aplicada em contexto de saúde mental: um estudo de caso. 215 f. Dissertação de mestrado, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, Portugal. Consultado em 14 de Novembro de 2015, recil.grupolusofona.pt/handle/10437/5059

Silva, M. P. T. da (2011). Biblioterapia na educação pré-escolar: a gestão do medo e da agressividade. Dissertação de Mestrado, Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti, Porto, Portugal. 74 f. Consultado em 14 de Novembro de 2015, http://repositorio.esepf.pt/handle/10000/479

Van-Zeller, M. M. B. G. L. C. (2011). A Biblioterapia como pedagogia atuante da leitura: um projeto de intervenção em contexto educativo. Dissertação de mestrado, Universidade Portucalense, Porto, Portugal. 153 p. Consultado em 14 de Novembro de 2015, http://repositorio.uportu.pt/jspui/handle/11328/




DOI: http://dx.doi.org/10.15645/Alabe2016.14.6