A experiência dos clássicos adaptados: caminhos ínvios na promoção da leitura de textos literários?

Paulo Costa

Resumen


A adaptação de obras consideradas como “clássicos da literatura portuguesa”, não sendo uma prática nem recente nem inovadora tem, desde há algum tempo, conhecido novos contornos no mercado editorial nacional. Procuraremos, com a presente reflexão, colocar criticamente em destaque alguns aspectos: a) algumas reflexões teóricas em torno do texto literário e do cânone; b) leitura de textos literários e funções que aquela pode desempenhar c) características e questões de natureza geral levantadas pelas adaptações de textos literários não direccionados inicialmente para uma recepção infantil e/ou juvenil (a quem se destinam efectivamente estes textos?).

Tomando como objecto de análise alguns exemplos recentemente publicados, tentaremos questionar os aspectos anteriormente referidos. Neste percuso, procuraremos ver em que medida se visa o melhor de dois mundos: o das crianças e jovens, o dos pais e educadores, o do nicho de mercado eventualmente ainda por explorar.Talvez o ‘mapa’ nos guie até uma ‘Terra do Nunca’ na qual uma aparência de produto pedagógico ou similar sirva prioritariamente propósitos comerciais.


Palabras clave


adaptação dos clássicos; educação literária; cânone; literatura portuguesa para crianças

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15645/Alabe.2011.4.4