O Terceiro na Literatura para Crianças : modelos de identificação

Natividade Carvalho Pires

Resumen


Este artigo aborda a literatura para crianças na sua relação com a teoria do filósofo francês Michel Serres (1991), sobre a instância do “Tiers-instruit” (“Terceiro-instruído”). Michel Serres considera que a aprendizagem é uma mestiçagem e que os caminhos que o indivíduo faz são uma passagem para um terceiro lugar. Na filosofia de Serres, há elementos fundamentais para a educação. Neste artigo, reflectimos sobre uma triangulação onde a interacção livro-leitor pode, ou não, dar origem a esse terceiro. A ambivalência e transgressão de certas personagens são questionadas como possibilidade de se constituírem como heróis por isso mesmo, sobretudo na complexidade da vivência dos jovens no contexto contemporâneo. Assim, o leitor pode tornar-se um Terceiro-instruído (quando algo é aprendido e transforma o sujeito, como acontece, segundo explica o próprio Serres (1993), quando uma planta é enxertada e dá origem a uma variedade nova). Alguns textos de literatura para crianças e jovens, desde adaptações de textos clássicos a obras contemporâneas, serão aqui alvo desta análise. A reflexão está também ancorada nas opiniões de jovens leitores, questionados sobre alguns dos textos abordados.

 

Abstract

This article revolves around Children’s Literature and its relation with the French Philosopher Michel Serres´s (1991) theory about the instance of “the educated third party”. Michel Serres views the learning process as cross-fertilization where all the paths a person goes through are a passage to a third level. In the present article, we will reflect upon a triangulation where the relation book-reader can or cannot originate this third party. As Michel Serres explaines “When something is learned, a third person is produced from the rootstock into which the scion is inserted” (1993). Some Children’s and Teen Literature, from adaptations of  classical texts to contemporaneous works, will be our object of analysis. Our reflection is also grounded in young readers’ opinions when questioned about some of the analyzed texts.

 


Palabras clave


literatura infantil; modelos de identificação; heróis clássicos e modernos; adaptações; terceiro-instruído

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15645/Alabe.2010.1.2