Contos da Infância e do Lar: da Tradição Oral à Literatura para a Infância

Carla Alexandra Guerreiro

Resumen


Os irmãos Grimm (Alemanha- séc.XIX) foram dos mais prolíferos escritores de histórias de potencial receção Infanto-juvenil, tornando imortais contos como: “Capuchinho Vermelho”, “A cabra e os sete cabritinhos”, “A bela Adormecida” ou “Gata Borralheira”, entre outros, que continuam no século XXI a despertar sonho e magia nas mentes infantis.

No nosso artigo, trataremos de refletir sobre a originalidade e importância da sua obra literária: Contos da infância e do lar, revisitando os aspetos mais importantes e significativos nela enunciados. Para isso, seguimos uma metodologia analítica, baseada nos textos originais dos Grimm, bem como em especialistas atualizados nesta matéria.


Palabras clave


Contos tradicionais; Literatura Infantil; Irmãos Grimm; Contos da infância e do lar.

Texto completo:

PDF

Referencias


Araújo, Armindo António Teixeira (2008). A Emancipação da Literatura Infantil. Porto: Campo das Letras.

Bettleheim, Bruno (1999). Psicanálise dos Contos de Fadas. Lisboa: Bertrand Editora.8ª Ed.

Calvino, Italo (1996). Sobre o Conto de Fadas. Lisboa: Teorema.

Grimm, Jacob e Wilhelm (2012). Contos da Infância e do Lar, vol.-I.Lisboa: Círculo de Leitores.

Lieberman, Marcia K.(1986). Some day my Prince will come: female acculturation through the Fairy Tale, pp.56-58 in Zipes, Jack (org.) Don´t bet on the Prince. New York: Gower.

Santos, Manuel Bragança (2002). A magia do conto no desenvolvimento integral da criança,p.116, in Mesquita, Pedagogias do imaginário. Porto. Edições Asa.

Silva, Francisco Vaz da (Coord.) (2012). Irmãos Grimm.Contos da Infância e do Lar-Vol-I.Lisboa: Círculo de Leitores.

Traça, Maria Emília (1998). O Fio da Memória, Do Conto Popular ao Conto para Crianças. Porto. Porto Editora.

Zipes, Jack (1979). Breaking the magic Spell:Radical Theories of Folk and fairy Tales. New York: Methuen.




DOI: http://dx.doi.org/10.15645/Alabe.2013.8.3