Os primeiros passos de Lobato nas décadas de 20 e 30: da oralidade à novas descobertas sobre o gosto infantil

Izaura da Silva Cabral

Resumen


No Brasil, um dos precursores da literatura infantil é Monteiro Lobato, que aproveitou algumas das características experimentadas por outros e o fato de a escola da época estar começando a inserir os livros de leitura no cotidiano escolar, para produzir livros destinados aos pequenos. Dessa forma, buscaremos identificar a construção de sua obra infantil, especialmente as descobertas sobre a preferência dos leitores infantis durante os anos 20 e 30, como a presença da oralidade e outras características, claramente registradas nas reedições de suas obras. Tomaremos como corpus da análise as edições de A menina do narizinho arrebitado (1920) e o primeiro capítulo “Narizinho arrebitado” (1934) de Reinações de Narizinho. A partir da análise, pode-se verificar as razões que levaram Monteiro Lobato a realizar alterações visando atingir o leitor infantil, resultado que o consagrou como um dos maiores autores da literatura infantil brasileira de todos os tempos.


Palabras clave


Literatura infantil; Monteiro Lobato; Reinações de Narizinho; Leitor infantil; Anos 20 e 30.

Texto completo:

PDF

Referencias


AGUIAR, Vera Teixeira de (Coord.). Era uma vez... na escola: formando educadores para formar leitores. 4ª. ed. Belo Horizonte: Formato, 2001.

ARROYO, Leonardo. Literatura infantil brasileira. São Paulo: Melhoramentos, 1968.

CABRAL, Izaura da Silva. O leitor em processo de autonomia: contribuições de narrativas clássicas infanto-juvenis. Dissertação de Mestrado apresentada ao PPG-Letras/UNISC, 2007.

CAVALHEIRO, Edgar. Monteiro Lobato: vida e obra. 3ª. ed. São Paulo: Brasiliense, 1962.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. 12. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1982.

SANDRONI, Laura. De Lobato a Bojunga. Rio de Janeiro: Agir, 1987.

LOBATO, Monteiro. A menina do narizinho arrebitado. Fac-símile da 1ª. ed. São Paulo: Metal Leve/Forma Composições Gráficas ltda., 1982.

LOBATO, Monteiro. A barca de Gleyre. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1944.

LOBATO, Monteiro. “Narizinho Arrebitado”. In: Reinações de Narizinho. São Paulo: Brasiliense, 2005.

MACHADO, Ana Maria. Como e por que ler os clássicos universais desde cedo. Rio de Janeiro; Objetiva, 2002.

MAÇOLLA, Rosangela. As histórias de tradição oral na obra infantil de Lobato: análise folkmidiática em Reinações de Narizinho. Rio de Janeiro: FOLKON, 2003.

MIGUEZ, Fátima. Nas arte-manhas do imaginário infantil: o lugar da literatura na sala de aula. 4ª. ed. Rio de Janeiro: Singular, 2009.

NUNES, Cassiano. Monteiro Lobato vivo. Rio de Janeiro: Mpm, 1986.

RODRIGUES, Denise Reis; BORZUK, Cristiane Souza. Monteiro Lobato e o construtivismo Piagetiano: a obra infantil de Monteiro Lobato como suporte na prática pedagógica. XXV Congresso Nacional de Educação – CAJ/ UFG, 2009. Disponível em: www.revistas.jatai.ufg.br/index.php/acp/article/download/809/435 Acesso em 01/08/2011.

ZILBERMAN, Regina. Como e por que ler a literatura infantil brasileira. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005.

ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. São Paulo: Global, 2003.

www.lobato.globo.com/biblioteca_Geral.asp Acesso em 15/07/2011




DOI: http://dx.doi.org/10.15645/Alabe.2015.11.1